A vida de Madre Leônia Milito

CENTENÁRIO DA SERVA DE DEUS

Madre-LeoniaNascida em Sapri – Itália, Madre Leônia foi uma figura ímpar na história religiosa da Itália e do Brasil.

 

Fiel ao Chamado de Deus, professou os votos religiosos na Congregação das Pobres Filhas de Santo Antônio.

 

Nela exerceu a função de mestra de noviças, que lhe permitiu transmitir às jovens o ardor missionário.

 

Não tardou o chamado brasileiro, necessitado de religiosas, precisamente em Matão-SP e sua vizinhança. Isso foi no inicio da década de cinquenta do século XX.

 

Inicialmente vieram apenas quatro irmãs, mas logo em seguida, a própria Leônia trouxe nada menos uma vintena de jovens entusiasmadas pelo campo missionário que se abria para a pequena congregação italiana.

 

Houve contrariedades e quase a missão no Brasil foi fechada, porém Deus não desampara os necessitados e Madre Leônia com seu ardor missionário e ânimo fiel a Deus, levou a frente “as comunidades missionárias” em diversas cidades do interior do estado de São Paulo.

 

Madre Leônia com as lealdades das irmãs que atuavam no Brasil as quais em solidariedade a ela, espontaneamente pediram dispensa de seus votos e continuaram trabalhando onde estavam.

 

Providencialmente, entra em cena, nesse momento, a figura do Padre Geraldo Fernandes Bijos, indicado para aconselhar as irmãs como representante dos Religiosos no Brasil.

 

Nomeado para ser o primeiro Bispo de Londrina-PR, vislumbrou ele a possibilidade de acolher, nesta cidade, as irmãs na sua nova Diocese.

 

Ele e Madre Leônia fundaram, em 19 de março de 1958, uma Congregação Religiosa de Direito Diocesano, que a pedido das irmãs, foi chamada Congregação das Missionárias de Santo Antônio Maria Claret, visto que elas queriam compartilhar o Carisma de seu fundador que era religioso Claretiano.

 

Da fundação até sua morte ocorrida em 1980 em um acidente de carro enquanto ia para mais uma missão, Madre Leônia expandiu consideravelmente a jovem Congregação que foi rapidamente reconhecida como de Direito Pontifício.

 

Hoje está espalhada nos cinco Continentes, em 18 Países, com centenas de irmãs atuando em prol dos mais necessitados, numa demonstração de sua fidelidade e fecundidade.

 

José Garcia Gonzáles Neto

Dom Geraldo Fernandes Bijos, Homilia da missa de 7º
dia de Me. Leônia – CF ESPECIAL, ANO XV, 1980

Fonte: Revista Vida em Ação – Londrina – Junho 2013 – Ano XIV – Nº 164

 

 

Veja Mais: